sexta-feira, 9 de outubro de 2009

MULHERES MINHAS

Recebi hoje de uma grande amiga linda mensagem sobre as mulheres. Tenho a maior preguiça de abrir qualquer coisa que chegue como encaminhada pr'um monte de gente; acho impessoal, imagino que quem mandou teve preguiça também e mandou por mandar. Na maioria das vezes nem abro, mas esta a que me refiro abri... Grata surpresa!
Linda a mensagem, tanto quanto a amiga, por sinal prima predileta. Acho a palavra "predileta" tão jeca que adotei pra me referir à dita cuja, já que somos tão bacanas que até o que é jeca fica bacana também. Ela sabe o quanto é especial em minha vida, né Frango?
Então - lá vou eu com minhas eternas reflexões e lembranças. Quem não me conhece deve achar que não faço mais nada além de pensar, mas faço, só que fico quieta em meu atelier, trabalhando calada e pensando sempre.
Tenho uma irmã encantadora - Tê é o nome dela. A única, a mais linda, a mais sensacional, a mais vaidosa, a mais amorosa, que diz "te amo" toda vez que desliga o telefone - o que acontece quase todos os dias. Eu também amo muito esta menina. Ciumenta demais, diga-se de passagem. Vira e mexe me cobra uma declaração de amor pública, que nem a que faço agora. É que, apesar de sermos irmãs de pai e mãe, só nos conhecemos de fato há uns poucos anos, uns 10, talvez.
Mas olhem que valeu a pena esperar! Penso que nosso tempo tinha que demorar mesmo um tanto, pra gente crescer e se encontrar no ponto em que aconteceu. Quando me casei pela primeira vez ela 'tava lá nas fotos, de vestidinho azul e tamanco francesinha, uma menina. A menina cresceu e virou um mulherão. Continua brava a bichinha, mas doce como uma criança. Fala alto, chama o mundo na correção, mas é uma doce menina.
Não consigo imaginar minha vida sem ela, sem nossas looongas conversas - quase sempre por telefone, já que moramos longe uma da outra, sem o apoio moral em toda e qualquer circunstância, sem os desabafos da vontade de chutar o pau da barraca... Ah, é muito bom ser sua "rirmã", florzinha!
Explicando: ela me chama de rirmã porque só vivo rindo e ainda consigo fazê-la rir sempre, com meu jeito abaianado, estabanado e desligado. Parece que tudo o que acontece fica engraçado quando estamos juntas. Nossas viagens são sempre divertidas e inesquecíveis, e os fatos conspiram a favor de nossa diversão. Quando a situação parece não ter conserto, consigo parar pra pedir informação - e aí o sujeito informante é gago e caímos na risada. Continuamos perdidas, mas rindo... É ou não é demais ter uma irmã dessas?
Tem ainda minha filha Lis, princesa braba e apaixonante, as grandes amigas, que não posso citar com medo de esquecer alguma, mas cada uma delas sabe o quanto me importa. São mulheres de todo jeito: certinhas, normais, doidas, doidas demais. Gosto de cada uma do jeitinho que é, sem tirar nem por. Algumas vêm desde a infância, outras nem de tanto tempo, mas tão amigas quanto. Bacanas, lindas, complicadas como a maioria das mulheres, chatas e ainda adoráveis, falam demais ou de menos, choram por qualquer motivo e até sem motivo nenhum, amam ou toleram seus homens ou suas próprias mulheres - já que algumas são casadas entre si, cuidam dos pais doentes com uma dedicação infinita, gostam de mim e de minha família, estão sempre presentes nem que seja por e-mail, enfim, nenhum de meus homens já citados n'outra postagem supera minhas mulheres.
Cada um deles tem seu canto em minha vida, abençoada vida. Tenho certeza de que não passei por aqui em vão...

8 comentários:

Liliana disse...

Oi Can!!! Bom... eu espero fazer parte deste rol das "mulheres suas". Primeiro porque só tem mulher bacana e eu quero ser bacaninha também, depois porque é bom demais estar na lista de suas mulheres. Um beijo minha linda!

Anônimo disse...

Ameeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei !
Obrigada linda prima predileta
Estou a caminho da minha rocinha depois escreverei mais,... já tou querendo um blog para responder com força
Bjins

Laurinha disse...

Tia Tê deve estar se achando, e eu tbm to, rsrsrs
gosto demais de vc viu?!

bjim

Maria disse...

Cândida, minha muito querida! Leio suas histórias e nelas, leio você. E nelas, leio a mim também! Deus me deu de presente o dia que te conheci, e me abençoa através da sua presença, do Artur e de toda sua família na minha vida.
Por onde você passa, fica a sensação de brilho no coração da gente! Você sabe, como poucos, o sentido real de amor em suas mais amplas conotações!! E eu gosto muito de você, moça! Beijos!

Adélia Carvalho disse...

Que post lindo, lindo, Cândida. Mulheres são mesmo tudo isso que você diz. As mulheres da minha vida, também são um encanto, são minhas melhores amigas, meus amores, minhas salvadoras, minhas conselheiras, meus exemplos e minhas bênçãos. E as mulheres, sejam Lilith’s ou Eva’s, estão deixando suas marcas no mundo com sua força e delicadeza, com sua inteligência e sensibilidade. Olha só, já temos a 12ª mulher ganhadora do Nobel da literatura e a 1ª do Nobel da economia, essa última disse: “sou a primeira, mas não serei a última” e certamente não será!.São as maravilhas e as delícias de ser mulher. Beijos.

Lucia Cunha disse...

Oi Candida ! ! !
Tambem quero fazer parte do rol das "mulheres suas" . . .
Parabens por passar para o papel toda a emoção !
Bjsss
Lucia

Anônimo disse...

Oi coleguinha,

Tô boba de ver que além das “belezuras” que cria ,vc escreve de um jeito gostoso,interessante,inteligente e afetivo.
Aproveite seus talentos !!!
Gostei de conhecer a thurma dos Cordeiro ...quero ir lá em algum domingo desses...

Bjs,

Beth

little star school disse...

kkkkkkkkk.....Todo mundo deve tá achando que sou uma ingrata...kkkkkk Né Laurinha, engraçadinha...rs...to me achando sim, e vc tá se roendo de inveja...kkk...Gente, só hoje consegui abrir esse blog dessa menina, meu feriado foi bárbaro e só agora cheguei em casa.AFF...até cansei de tanto ficar à toa.Vi minha rirmã amada, idolatrada, salve, salve.Fiquei muito feliz de saber a público que sou tão amada assim, porque no segredo já sabia, né Canca da minha vida...kkk.Gente, nem conto procês, que depois de pedirmos informação prum baiano ga-ga-ga-go, pedimos pra um canhoto.Pelamordedeus...kkkk....Levantou a mão esquerda e virava pra esquerda dizendo...:você vira à direita, depois à esquerda( com a mão virando pra direita)...kkkk...Tivemos outra crise de riso, de desespero, porque o perigo é a motorista, minha rirmã, dá um nó nos neurônios e cairmos num precipício...kkk.Isso sem contar que o carro estava abarrotado de travesseiros direto da NASA..kkk...isso só pessoalmente pra contar...rs....Can, quando você olha pra mim, o seu olhar atravessa minha alma, e eu me sinto a pessoa mais protegida do mundo.Lhe amo, viu minha rirmã.Beijo, Te